Tag Archives: linux

What would you like to see most in minix?

Só para lembrar…

From: torvalds@klaava.Helsinki.FI (Linus Benedict Torvalds)
Newsgroups: comp.os.minix
Subject: What would you like to see most in minix?
Summary: small poll for my new operating system
Message-ID: <1991Aug25.205708.9541@klaava.Helsinki.FI>
Date: 25 Aug 91 20:57:08 GMT
Organization: University of Helsinki

Hello everybody out there using minix –

I’m doing a (free) operating system (just a hobby, won’t be big and
professional like gnu) for 386(486) AT clones. This has been brewing
since april, and is starting to get ready. I’d like any feedback on
things people like/dislike in minix, as my OS resembles it somewhat
(same physical layout of the file-system (due to practical reasons)
among other things).

I’ve currently ported bash(1.08) and gcc(1.40), and things seem to work.
This implies that I’ll get something practical within a few months, and
I’d like to know what features most people would want. Any suggestions
are welcome, but I won’t promise I’ll implement them 🙂

Linus (torvalds@kruuna.helsinki.fi)

PS. Yes – it’s free of any minix code, and it has a multi-threaded fs.
It is NOT portable (uses 386 task switching etc), and it probably never
will support anything other than AT-harddisks, as that’s all I have 🙁

Dica – Usando dosbox com som

Eu hoje testei o dosbox para jogar full throttle (DOS) e reparei que ele reconhecia o som (sound blaster / ultra sound – as duas são emuladas no dosbox) mas não tocava. Ele não usa o alsa, mas sim o oss.

Para resolver esse problema, é só instalar o pacote alsa-oss – na maioria das distros é esse o nome – e rodar:
aoss dosbox

no arch linux sudo pacman -S alsa-oss
no ubuntu deve ser sudo apt-get install alsa-oss

E pronto!

C++ – Threads

Continuando a série “O que fazer e o que não fazer em C++”, vamos hoje falar de threads. Threads, famosas threads.

As threads tem um estigma forte de “só use se realmente for necessário, e eu concordo com isso, mas o caso é que geralmente é preciso usar threads para várias coisas.

Podemos separá-las em dois grupos básicos:
1. Threads seriais
2. Threads concorrentes

Neste caso, as problemáticas são as concorrentes. Vamos entender o porquê.
Threads seriais não precisam de sincronização.  Podemos citar como exemplo uma thread que recebe mensagens via socket e coloca em uma fila, e outra thread vai remover pacotes dessa fila. O único cuidado que temos é de colocar corretamente os locks na fila usada para não ocorrer uma leitura de memória inválida. Continue reading

Instalando o Skype no arch linux de 64 bits

Yaourt = Pacman bombado.

Antes de mais nada, comecei a falar do yaourt pois é com ele que instalaremos o skype.

Este programa chamado yaourt dentre muitas coisas mostra o pacman colorido, com novas opções, e mais legal de tudo é que instala da mesma forma os pacotes do AUR. Para quem não sabe, AUR significa “ArchLinux User-community Repository”. É um repositório (nem tudo lá funciona bem), mas ultra-atualizado e com muito mais coisas que estão fora dos repositórios extra/community.

Primeiro vamos instalar o yaourt.

Entre em http://aur.archlinux.org/packages.php?ID=5863 e pegue o Tarball.
Baixado, descompacte (tar zxvf yaourt.tar.gz) o yaourt.tar.gz, entre no diretório yaourt descompactado e execute:
sudo makepkg -i –asroot
O makepkg irá conectar na internet, baixar os fontes, compilar e instalar o pacote gerado.

Feito isso, simplesmente faça:
sudo yaourt -S aur/bin32-skype (para alsa)
sudo yaourt -S aur/bin32-skype-oss (para oss)
sudo yaourt -S aur/bin32-skype-pulse (para pulse)

O skype e todas as dependências serão instaladas.

Fácil não 😉

Até!

Editor PHP

Estava nestes últimos tempos a procura de um bom editor para PHP.
Para C++ e Java o emacs e eclipse já me suprem muito bem, mas php ainda os que vi, inclusive o pdt são mto fracos.

Achei um que até agora está imbatível:
Komodo Edit

Ele faz uma coisa que até agora nenhum fez. Autocomplete!
Eu declarando, por exemplo
$dalProdutos = new DALProdutos($conn);
ele me retorna os métodos da classe DALProdutos.
o editor é muito inteligente, não precisando eu declarar na mesma página para que ele faça o autocomplete.

E faz checagem de sintaxe conforme a digitação.

Mostrando métodos de um objeto

Parametros do método – Note o bug 😉

Logo que testá-lo com C++ coloco um novo post aqui.

Como dito no site:
Free the Dragon!

Ubuntu Cola

E o nome está ficando famoso.
Descobri que existe (não é piada!) um refrigerante chamado Ubuntu-Cola.

Pelo que vi no site, ele ganhou o prêmio “Fairtrade stamp of approval”, que pelo que eu entendi seria algo como “os que trabalham aqui tem um salário justo, trabalham com segurança, etc. Uma empresa justa e correta.”

Para os que não sabem, Ubuntu significa:
Ubuntu (pronuncia-se /ùbúntú/ – u-BÚN-tu; IPA: /uˈbuntu/), diretamente traduzido como “humanidade para com os outros” ou “sou o que sou pelo que nós somos”.

“Uma pessoa com Ubuntu está aberta e disponível aos outros, assegurada pelos outros, não sente intimidada que os outros sejam capazes e bons, para ele ou ela ter própria auto-confiança que vem do conhecimento que ele ou ela tem o seu próprio lugar no grande todo.” — Arcebispo Desmond Tutu em Nenhum Futuro Sem Perdão (No Future Without Forgiveness).
(Fonte do significado: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ubuntu_Linux)

Fonte da informação: http://www.ubuntu-trading.com/

Compiz e Intel X3100

Para os que tiveram problemas ao instalar o compiz na placa de vídeo Intel X3100, segue uma dica que ajudará

As placas de vídeo da Intel já tem os drivers abertos, sendo então problema do compiz, que não a reconhece como placa aceleradora.

Para isso precisamos mudar uma configuração no Compiz, alterando o arquivo /etc/xdg/compiz/compiz-manager e adicionando a linha (ou alterando caso exista)
SKIP_CHECKS=”yes”
Assim ele deixará de checar se tem placa aceleradora.

Isso aconteceu aqui no ubuntu. Não sei como o compiz se comporta em outras distros 🙂